Layout by VICKYS.com.br

domingo, 15 de junho de 2008

Você: a pessoa mais importante do mundo!

Lembrete nº1: Nunca planejar nada com mais de dois dias de antecedência.
Lembrete nº2: Às vezes um desvio acaba tornando seu programa mais perfeito do que no plano original.

São coisas que a gente aprende na prática mesmo. Segunda-feira fui no cinema assistir Sex and the City. Sozinha. E, sinceramente, não sei o que foi mais divertido: o filme em si, ou o fato de só ter mulheres no cinema (seja com a melhor amiga, sozinhas ou na companhia dos filhos, que provavelmente estavam ali na esperança de ver uma coisa mais picante do que os filmes que a idade deles permitem), ou ainda se foi o fato de estar sozinha.

Sobre o filme, nem tenho muito o que dizer. Foi o final que eu esperava pra série. Para todas as garotas, inclusive a Samantha. E, apesar de alguns críticos falarem que o filme não inovou, que fez a mesma formulinha e usou certos clichês, eu adorei. Pode ser pela parte fã no meu sangue, mas eu não me decepcionei nenhum pouco. Saí de lá até mais leve pelas tantas risadas que dei, e com a cabeça a mil. O filme é bom galera, pode ir o cinema. Tão bom que eu até voltei na quinta-feira com a minha prima pra assistir de novo.

Mas, voltando ao assunto que eu quero discutir... esse negócio de passar um tempo sozinho. Eu gostei. Desde pequenos, temos essa coisa na nossa cabeça de que só podemos nos divertir acompanhados. De uma galera, ou uma pessoa, não importa. Nós sozinhos = tédio sem fim. Quem foi que implantou isso na nossa cabeça? Quanta bobagem!

Hoje em dia, fazemos de tudo pra nos isolarmos do mundo. É íncrível! Pular uma cadeira no cinema ou no banco da escola, sentando em uma mesa gigante vazia, só pra não dividir mesa com ninguém na biblioteca, inventando desculpas pra não sair, e etc... e quando ficamos sozinhos, quase queremos nos matar, porque o tédio toma conta, e quem tira ele dali? E qual a solução? Ligar o MSN, pra ter contato virtual com uma pessoa. ¬¬

MSN é útil, uma mão na roda, mas vamos combinar: trocar a experiência de falar ao vivo com uma pessoa, pra ficar digitando embaixo das cobertas é tosco. Por mais cômodo que seja, é tosco demais. Em vez de ligar o PC e ficar encarando a tela, sem ter nada pra fazer, porque não dar um jeito de se conectar consigo mesmo?

Cara, qual foi a última vez que você fez alguma coisa por si mesmo? Quando foi que você pegou uma sessão de cinema à tarde, depois do trabalho/escola, comprou um saco de pipoca e uma Coca-cola gigantes, e ficou ali curtindo o filme sozinho? Quando foi que você se arrumou todo pra ficar em casa mesmo, só pelo prazer de se olhar no espelho e dizer: "Nossa, como estou bonito! Eu me pegava, hein?"?

Em vez de ficar se policiando com medo de parecer idiota, tire um dia pra ficar com você mesmo. Pra se redescobrir. Você vai adorar, prometo. Um pouco de egoísmo não faz mal à ninguém. Por exemplo: compre uma barra de chocolate e coma sozinho. Falar sozinho parece coisa de gente louca, mas não é! É um ótimo jeito de ordenar os pensamentos e dar uma acalmada nos nervos. Alguém te irritou profundamente no trabalho? Solte os cachorros pras paredes! Finja que a pessoa está na sua frente, e descarregue!

Faça um jantar para a sua pessoa! Quem merece mais do que você mesmo? Ou não faça nada, se jogue no sofá, pegue uma coberta bem quentinha, coloque um filme bem legal, e se empanturre com pipoca de microondas e guaraná.

São pequenas coisas que fazem a diferença, e te deixam mais leve e mais perto de si mesmo. Agora, me dê licença que eu vou contar uma história para minha criança interior, já estou devendo isso a ela faz tempo.

Posted by Thata @ 18:19

11 Comentários

Blogger *.*Allegr!a*.* said...

O mínimo acaba sendo o máximo!
Divertido mesmo é cuidar de si mesma!
nem que seja de vez em quando!
Boa semana, e cuidemo-nos mais!

15 de junho de 2008 22:09  

Anonymous Anônimo said...

legal seu blog

abraços

15 de junho de 2008 22:18  

Anonymous Anônimo said...

Uma vez também fui ao cinema sozinho, me desencontrei com os amigos e assisti sozinho mesmo, a sala tava vazia, só umas 4 pessoas, e me senti como se tivesse uma sala de cinema só pra mim.
hehehehe

Digo uma coisa, não tenho medo da solidão, gosto muito de ficar sozinho ler um livro ouvir uma música escrever..

belo post

15 de junho de 2008 22:29  

Blogger Gabriel Leite said...

Eu também acho que o ser humano tá precisando de mais contato (físico mesmo). Porque celular, msn, e-mail, não vale. A gente precisa de rir junto, estar lado a lado, abraçar, beijar... Eu tenho pensado muito nisso ultimamente.

PS: Depois me diz o que achou do CD da Adriana Calcanhoto.

16 de junho de 2008 19:23  

Blogger Elsa Villon said...

Ahaha... gostei!

Eu vivo me divertindo sozinha... dançando que nem louca pela casa, berrando no banho, assistindo O Senhor dos anéis pela quadrigésima nona vez...

Acho legal um pseudo-egoísmo de vez em quando.

Amizade que só funciona pelo msn é tosca.

Não sou grande fã de Sex and the city, mas li boas críticas sobre.

Gostei do blog, voltarei mais vezes.

Beijos e obrigada pela visita.

20 de junho de 2008 12:16  

Anonymous Day said...

Amiga, como assim?!
Devia ter me contado sobre seu blog a muito tempo...
Acabei de levar um belo tapa na cara com seu texto perfeito, de verdade!! Vivo irritada [você sabe né..] pois quero ficar sozinha, assistir TV em silêncio, comer um pote de doce de leite sozinha e ficar imaginando como seria meu teto colorido.. Mas quando eu finalmente fico sozinha, fico assim, toda sem graça, sem sal, sem luz =/
Mas vou começar a pensar mais sobre isso, sobre o que eu quero e se eu realmente quero!
Parabéns amor, adorei aqui =*

24 de junho de 2008 20:03  

Blogger Elsa Villon said...

Ah, de nada pelo elogio... foi sincero...

Obrigada pelo comentário... acho que você também pertence ao grupo de estranhas normais do mundo... rsrsr

Beijão

24 de junho de 2008 21:48  

Blogger Gabriel Leite said...

É, mas eu percebi logo que o menino tinha errado de pessoa. Coitado!
rs

25 de junho de 2008 19:13  

Blogger Flávio said...

ser sozinho acaba fortalecendo o nosso corpo e alma e nos preparando para os combates esteriores é como que fosse uma academia interna entende
e como devemos nos fortificar para quando chegar a hora certa sofrermos menos o possivel
muito legal vc aborda este fenomeno da solidão como algo muito mais prestativo do que muita gente por ai pensa
ah e muito prazer vc nem deve me conhecer mesmo
rss

26 de junho de 2008 22:44  

Blogger Aventureiro X said...

Caracas! Adorei seu texto.
Acho que estamos na mesma fase pois o meu dessa semana tbm fala disso. Rsrsrs
Precisamos sair mais dos nossos "quadrados" né?
Obrigado pelas visitas. Gosto muito dos seus comentários.
Bjos.

27 de junho de 2008 00:35  

Blogger THIAGO PAULO said...

Nossa...muito bom, vc tem toda rasão. Sabe que eu sou assim na maior parte do tempo, prefiro mais fazer as coisas só. Meu mpai até me diz que sou anti social, mais pelo contrario...eu gosto muito de pessoas, porém precisamos mais pensar na gente mesmo...fazer coisas par gente mesmo.
Cinema...poucas vezes fui com mais uma pessoa...am maioria fui sozinho!!

Desculpa a demora para vir comentar no sue blog.

Abraços..

27 de junho de 2008 16:14  

Postar um comentário

<< Home

Nome:
Local: São Bernardo, São Paulo, Brazil

Merece um clique

. Capinaremos
. Frenesi
. Guerras Secretas
. Saco de Filó
. Substantivolátil
. Suellen Pereira

Já foi dito

. Virada Cultural, o Retorno
. Virada Cultural
. O motivo pelo qual eu não assisto jornal
. Eu sou besta...
. Os melhores desenhos da minha vida
. Atrasadinho, mas ta aqui
. Por que as pessoas viajam?
. 2008 começa
. Thata CG300
. 2008, finalmente

Créditos

[ Layout ]
VICKYS.com.br

[ Powered by ]